News and Events

Fraunhofer and UPTEC will move this summer to their new home in the Asprela Campus

Fraunhofer Portugal was mentioned on the news regarding its relocation to the new UPTEC building in the Asprela Campus. You can read the full news (in PT) here:

Fraunhofer e UPTEC vão instalar-se este Verão na casa nova do pólo da Asprela

O balanço do primeiro ano de actividade do braço português do instituto alemão é positivo, avalia Dirk Elias, do Fraunhofer Portugal. O dinamismo das firmas nacionais surpreendeu-o.

Depois de um ano a funcionar em instalações provisórias no Campo Alegre, o Fraunhofer Portugal, a primeira unidade que a prestigiada Sociedade Fraunhofer abriu fora da Alemanha, deve mudar-se no Verão para um novo edifício na Asprela. Instalado no Porto por via de uma parceria com a Universidade do Porto (UP), o instituto vai ocupar dois pisos da nova sede do Uptec - Parque de Ciência e Tecnologia da UP, que está praticamente concluída, ainda que com vários meses de atraso.

Neste momento, o Fraunhofer está a avaliar propostas para a execução do layout interior do espaço que a UP vai ceder e no qual - afirma o director do instituto, Dirk Elias - deverão caber umas cem pessoas. Dessa centena, o instituto deverá contratar até 40 investigadores seniores, tal como planeado inicialmente. Mas muita da actividade a desenvolver passará por ex-estudantes e jovens investigadores portugueses ou estrangeiros.

O percalço na instalação - "que também acontece na Alemanha", assinala Dirk Elias, como que desculpando a tendência portuguesa para o incumprimento de prazos - não impediu o arranque da actividade do Fraunhofer Portugal, que foi notícia, em Dezembro, por ter iniciado uma cooperação com a Câmara do Porto para o desenvolvimento de um sistema de gestão da recolha de lixo. O projecto, a testar no Porto, encontrou, entretanto, na indústria portuguesa o parceiro com o qual desenvolverá a tecnologia. Promete uma recolha mais eficaz e a redução dos custos no transporte do lixo, graças à instalação de sensores auto-alimentados, capazes de indicar, a distância, que o contentor está quase cheio.

Mesmo em tempo de crise, não falta trabalho a Dirk Elias. Em cima da mesa do gabinete em que recebe o PÚBLICO, na companhia do vice-reitor da UP para a Investigação e Desenvolvimento, Jorge Gonçalves, tem um amontoado de cartões-de-visita à espera de organização. É o resultado de um ano de contactos com instituições académicas e empresas de um país que já o surpreendeu pela positiva, pelo dinamismo que diz ter encontrado mesmo em firmas mais pequenas. A rede de cooperação, essa começa a desenhar-se. O Fraunhofer Portugal já tem em marcha um projecto com o INESC-Porto na área que mais vai explorar, a dos ambientes assistidos por tecnologias da comunicação - e foi buscar à Bosch, em Aveiro, uma peça fundamental para o desenvolvimento do sistema inteligente de recolha de lixo.

Paralelamente, Elias aposta na participação do Fraunhofer no Health Cluster Portugal, o cluster da Saúde fundado o ano passado, precisamente a partir do Porto. Mesmo admitindo que as actividades que o seu instituto quer desenvolver não estão no centro das preocupações da maioria dos associados do cluster, este alemão espera também encontrar parceiros para a área dos ambientes tecnologicamente assistidos para idosos: um mercado em expansão, já que, nota o director do Fraunhofer, a evolução demográfica no Ocidente fará com que, em breve, o sector precise de mais profissionais.

 

Source: 02.03.2009, Jornal Público